2

Você já se perguntou sobre o que significa a Internet das Coisas?

Ou, já parou para pensar o quanto é difícil desprendermos do nosso celular durante o dia?

Pois é, são raras as vezes que eu perco o meu de vista quando estou trabalhando ou quando estou estudando algo.

Mas eu tenho uma boa notícia para você: na era tecnológica que vivemos atualmente, o celular desempenha o papel de ator principal na novela da Internet das Coisas.

E, para que entendamos melhor o impacto dessa tecnologia em nossas vidas, eu preciso te revelar o real significado dela, para que ela serve e como ela é formada!

Além disso, vou te mostrar 13 aplicações reais da IoT em 2020 e como o celular ocupa o papel de coadjuvante no controle de todos esses 13 dispositivos.

Portanto, fique por dentro das tendências que estão moldando o mundo ao nosso redor e moldando a forma que interagimos com ele.

Qual o significado da Internet das Coisas?

Internet das coisas - definição

Internet das coisas ou IoT é um termo para representar uma grande rede de dispositivos conectados à web. Esses dispositivos coletam dados do mundo físico e os compartilham de acordo com o ambiente em que estão operando.

Tudo é feito com o uso de sensores embutidos em todo dispositivo físico que pode ser seu telefone, os eletrodomésticos da sua casa, sensores de código de barras, veículos, semáforos e quase tudo que você se deparar no seu cotidiano.

Veja bem.

Segundo uma pesquisa feita recentemente pela IDC (International Data Corporation, sigla em inglês) estima-se que em 2025 haverá 41.6 bilhões de dispositivos conectados à internet gerando aproximadamente 79.4 zettabytes (ZB), ou seja, 10¹² gigabytes.

Impressionante, não é mesmo?

Dessa forma, a ideia central dessa tecnologia é a presença de uma variedade de coisas e objetos “conversando” entre si e que variam de automação residencial e predial a cidades inteligentes (como no modelo atual de Nova Iorque), fabricação inteligente, wearables (vestíveis), automotivo e agrícola onde todos os dispositivos estão conectados sem a necessidade de uma pessoa envolvida no processo.

Vejamos um exemplo de uma casa inteligente onde você controla basicamente tudo apenas com o seu telefone:

A casa inteligente

Agora, quero te propor a imaginar a presença de um sistema conectado à web na vida de um gerente de empresas.

Suponhamos que ele trabalhe na parte da manhã em uma multinacional à 10 km de sua casa que fica no Jardim Paulista, zona oeste de São Paulo.

Primeiro, para que possa acordar, seu relógio inteligente sabe a hora exata do despertar e armazena como foi a noite de sono do empresário.

Logo em seguida que acorda, ele realiza seus afazeres matinais onde a cafeteira já tem seu café feito pois o watch comunicou que o seu dono já tinha levantado.

Para ir para o serviço, o carro sugere rotas alternativas para o trabalho devido o engarrafamento das principais vias da cidade.

Quando chega na empresa, o gerente utiliza de reconhecimento facial para adentrar a sua sala e rapidamente ligar seu computador para realizar uma reunião via web com uma empresa de IoT.

O exemplo do empresário é apenas um modelo futuro de uma vida cercada por dispositivos que estarão cada vez mais presentes em nosso dia-a-dia.

Tais dispositivos que são capazes de interagir entre si para alcançar objetivos comuns e quando combinados com sistemas automatizados, é possível coletar informações, analisá-las e criar uma ação para dar mais produtividade, conforto e praticidade às pessoas.

Visto essa comodidade, confira agora algumas tendências para 2020 de dispositivos que podem nos auxiliar no cotidiano.

13 exemplos da IoT

1. Com certeza a Apple Home Kit se destaca de muitos outros dispositivos IoT para a automação residencial. Com ele você consegue fazer basicamente tudo como controlar a temperatura, as luzes, a música, abrir e fechar o portão da garagem e monitorar sua casa com os vídeos de câmeras instaladas.

Apple home kit

Alguns acessórios da Apple HomeKit

2. Aquele interfone convencional ou mesmo aquela campainha antiga que você tem, no futuro, não existirão mais. Esses meios comuns serão substituídos por Smart Doorbells como o Nest Hello Doorbell abaixo.

A vantagem de se ter esse tipo de campainha tecnológica é a praticidade de você se comunicar com a pessoa do outro lado, dizer uma fala automática pelo app e gravar (amplitude da câmera é de 160°) o rosto da pessoa para o dispositivo chamá-la pelo nome futuramente.

Nest Hello Doorbell
Google Nest Hello Doorbell

3. O Termostato Nest do Google, como o abaixo, é um dispositivo que aprende os seus hábitos e cria um cronograma personalizado para você.

Você pode controlá-lo através do seu telefone e controlar o ar da sua casa e outros dispositivos de forma a economizar dinheiro quando não estiver em casa.

Termostato Nest do Google
Termostato Nest do Google

4. Com as opções de segurança que surgem com o passar dos anos, a Câmera Nest do Google é uma boa alternativa para monitorar tudo dentro e fora da sua casa através do telefone.

Você consegue ver se está tudo em ordem com seu pet ou com seus filhos enquanto está no trabalho, por exemplo.

Camera Nest Google
Câmera Nest do Google

5. Como vimos até agora, a Google investiu bastante em dispositivos IoT e todos eles você consegue controlar através do assistente do Google. De forma a unificar todos os gadgets, a empresa criou o Google Nest Hub de 7 polegadas (muito parecido com um tablet).

Nele você controla as luzes Philips Hue, checa quem está tocando a campainha Nest Hello, monitora as câmeras, e tudo feito no touchscreen.

Google Nest Hub
Google Nest Hub

6. A Lenovo também possui um Smart Display que tem basicamente a mesma funcionalidade do Google Nest Hub acima mas, com uma tela maior (8 polegadas), um auto-falante melhor e uma câmera que você pode usar para vídeo chamadas.

Smart Display Lenovo
Smart Display da Lenovo

7. Quem possui um jardim ou um quintal com grama plantada geralmente precisa pagar alguém com um aparador de grama para cuidar do local. Mas, existe uma solução da Husqvarna, o cortador de grama robótico, que faz esse trabalho quando você o aciona pelo telefone.

Ele é resistente o bastante para atuar em dias chuvosos ou dias quentes a fim de manter seu gramado intocável

Cortador de grama Husqvarna
Cortador de grama da Husqvarna

8. E se você pudesse abrir as cortinas do seu quarto pela manhã sem sair da cama? Então, você pode!

O Smart Blind motorizado é uma opção para economizar energia e economizar dinheiro no final. É possível configurar o dispositivo de acordo com a posição do sol para maximizar o uso da sua luz.

Smart blind
Dispositivo Smart Blind

9. Outro dispositivo IoT é o lavadora e secadora da Samsung. Com o app Samsung Smarthings é possível que ativá-la remotamente para começar em uma hora específica ou determinar o melhor ciclo e temperatura para sua lavagem. Com isso, a qualidade da sua roupa se mantém por mais tempo.

Lavadora inteligente da Samsung
Lavadora inteligente da Samsung

10. Não se precisa preocupar com poeira com o Smart Vacuum. O gadget da Samsung limpa o chão de uma maneira inteligente, mas antes ele mapeia todos os cômodos da casa e com isso sabe ao certo o melhor caminho para fazer seu trabalho. Coloque ele para regularmente limpar sua casa e quando acabar, voltar à estação de recarga automaticamente.

Aspirador de chão samsung
Robô aspirador da Samsung

11. Deixe sua casa mais atraente e estilosa com as lâmpadas Philips Hue. Elas não são apenas lâmpadas comuns pois elas mudam de cor. Além disso podem ser sincronizadas com música, vídeo games e filmes.

Você pode programar para acender e desligar as luzes quando quiser tudo controlado com o toque de um botão no smartphone ou até mesmo com a voz.

Lâmpadas Philips Hue
Lâmpadas Philips Hue

12. Se você quer ligar qualquer coisa pelo telefone, mas não tem uma lavadora, TV, ar condicionado ou outro eletro eletrônico com conexão à internet, no mercado encontramos as tomadas inteligentes.

Elas são como um “T” com conexão à internet e se formos comparar com os outros gadgets, acaba saindo mais barato. Basta você conectar o que quiser no plug e inseri-lo na tomada pois, através do seu telefone, poderá ligar qualquer coisa remotamente.

13. A fechadura eletrônica August Smart Lock permite que você mantenha as chaves domésticas e tenha um aplicativo móvel que permite gerenciar o acesso à fechadura, verificar seu histórico de uso e receber notificações quando alguém abrir a porta da sua casa.

O impressionante é que o August Smart Lock Pro é compatível com a amazon alexa, o apple homekit e o assistente do Google. Isso significa que você pode controlar sua porta e verificar o seu status com comandos de voz.

Dispositivo Internet das Coisas: August Smart Lock Pro
Fechadura elétrica inteligente

Como as redes irão suportar tantos dispositivos conectados ao mesmo tempo?

Soluções para os dispositivos de internet das coisas
A evolução dos padrões sem fio na comunicação IoT

Para solucionar esse problema da alta demanda por melhores conexões, tecnologias sem fio têm evoluído bastante de forma a beneficiar os dispositivos de internet das coisas

Olhe só.

Alguns padrões surgiram para ajudar a Internet das Coisas como o padrão 802.11ax/802.11ba para WLANs (famoso Wifi 6), IoT de banda estreita (sigla NB-IoT), bluetooth 5 e o sub-1GHz.

Além disso, cabos de fibra ótica e data centers estão todos os dias evoluindo e aumentando sua capacidade para atender a alta demanda de conexão de diversos dispositivos.

A próxima novidade será a tecnologia sem fio de quinta geração, ou 5G, com maior taxa de resposta, velocidade e conexão à web mais ampla.

Você já deve ter se conectado (a) a tecnologias anteriores da 5G, mas você sabe como se deu sua evolução?

Então confira como se dava as tecnologias de telefonia móvel passadas:

  • 1G – popularizada na década de 80, se tratava de um sistema de sinal analógico e era possível somente a comunicação por voz;
  • 2G – usada na década de 90, o sistema se aprimorou para o digital e possibilitou a comunicação por voz e mensagem de texto;
  • 3G – utilizada a partir de 2006, permite uma velocidade mínima de 200 kbps e engloba as tecnologias 1G e 2G, no entanto, com armazenamento de dados;
  • 4G – é um aglomerado das tecnologias anteriores que se deu em 2010, com um diferencial de respostas mais rápidas e transmissão multimídia em HD;
  • 5G – o futuro dessa geração fornecerá ao usuário uma conexão muito mais eficaz e rápida que nos possibilitará baixar filmes HD’s inteiros em questão de segundos.

Evolução do 5G, presente em uma única imagem:

A evolução do 5G
A evolução do 5G

É notável a dimensão da conexão 5G pois, diferentemente das gerações anteriores, ela abrange muito mais dispositivos fazendo com que surja uma maior demanda por tráfego modernizando ainda mais os provedores de telecomunicações

A futura demanda por dados

Grandes empresas atualmente usam a computação em nuvem e o armazenamento de dados como seu modelo de negócios.

Por exemplo, você já ouviu falar que a ifood é dona de algum restaurante ou que a uber é dona de algum carro, ou até, que a airbnb é dona de algum hotel? Não, pois o que as tornaram grandes empresas, se refere à posse de dados e não a posse de coisas.

O mesmo acontece com os dispositivos IoT. Como dito no começo do artigo, haverá bilhões de aparelhos que estarão conectados à web gerando trilhões de informações. Portanto, armazenar e processar tudo isso será um grande desafio.

É importante ressaltar que já existe esse problema atualmente, onde sistemas comuns de análise de dados não conseguem processar toda essa demanda sendo necessárias outras formas de se fazer isso.

Essas outras formas de processamento e armazenamento hoje em dia são os data centers e a nuvem, mas às vezes esses sistemas comuns de análise de dados não são uma opção. 

Por exemplo, no caso de dispositivos que monitoram a produção de uma indústria em tempo real, o atraso no envio de dados do dispositivo para um data center remoto é muito grande. 

O tempo de ida e volta para enviar dados, processá-los, analisá-los e retornar instruções pode demorar muito. 

Observe abaixo o caminho que os dados geralmente fazem quando dispositivos IoT os coletam para serem analisados:

Cloud Computing e a Internet das Coisas

Nesses casos, a computação de borda (ou edge computing, em inglês) pode entrar em ação para reduzir o atraso de repostas.

Funciona assim: um dispositivo de borda inteligente agrega os dados, os analisa e cria respostas para o sistema de atuação tudo a uma distância física relativamente próxima.

Os dispositivos de borda também têm conectividade upstream (upload) para enviar dados para serem processados ​​e armazenados posteriormente.

Além do mais, com a edge computing, a forma de tratamento de dados tem um ganho de 33% na velocidade, ou seja, os dados não precisam percorrer todo o caminho de volta ao servidor central para que o dispositivo saiba que uma função precisa ser executada.

Agora, observe abaixo o a atuação da computação de borda:

Edge computing e a internet das coisas

Ela faz a ponte dos dispositivos da internet das coisas e com os data centers/nuvem.

A computação em borda está beneficiando os setores, nos quais os dispositivos de internet das coisas são usados especificamente para fins de lucro e utilizados em todos os setores relacionados.

Por exemplo, inteligência artificial (IA), carros inteligentes, fábricas, cidades inteligentes e outros dispositivos da internet das coisas estão obtendo imensos benefícios da computação de borda, pois ela ajuda a evitar problemas de latência no desempenho de aplicativos.

Portanto, podemos perceber que todas essas tecnologias (internet das coisas, cloud e edge computing) trabalhando em conjunto, trarão um impacto muito grande em nosso modo de viver.

Nos negócios a mudança já está ocorrendo e empresas que não se adaptarem, ficarão para trás.

Internet das Coisas Bill Gates

Faça da sua casa um sistema integrado com a Internet das Coisas

Monte sua casa inteligente com a internet das coisas

É possível criar um sistema de forma a automatizar a sua casa caso não queira comprar os dispositivos dos 13 exemplos acima.

Na internet você encontra diversos tutoriais de como deixar sua casa inteligente, como por exemplo, lixeira inteligente, ligar e desligar as luzes, ligar o ar condicionado entre outros, tudo com o seu telefone.

A plataforma maker que te possibilita fazer isso é o Arduino e algumas outras placas como a ESP8266.

Quando integradas à internet, é possível automatizar qualquer coisa como visto nos exemplos IoT aqui do artigo.

Aprenda, no tutorial aqui abaixo, a programar o Arduino para mostrar os dados de luminosidade e temperatura que os sensores LDR e LM35 estão captando:

Ou automatize as luzes da sua casa, controle seu computador e ligue equipamentos com comandos por voz através do Jarvis:

Se inspire com outras aplicações da internet das coisas com Arduino:

Me diz aqui abaixo 👇, como os dispositivos estão mudando sua vida?

Ou, você já foi impactado (a) por essa tecnologia?

Flávio Babos
Futuro Engenheiro Mecatrônico pela Federal de Uberlândia, fanático por Tecnologia, Empreendedorismo e Gestão. Desde pequeno faz projetos com Arduino e recentemente atuou na Empresa Júnior do seu curso gerenciando equipes de engenharia no setor de vendas e de projetos.

[Definitivo] Sensor de Temperatura Arduino: LM35, DHT11, DS18B20 e TMP36

Previous article

Novo Braço Robotico Arduino com Tutorial de Construção

Next article

You may also like

2 Comments

  1. Parabéns pelo artigo!

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *